Mudança de ranking do Google privilegia sites mobile

quarta-feira, abril 22, 2015 4/22/2015 03:17:00 PM

Todos já passamos por isso: você está usando o telefone celular e, ao acessar um site, descobre que ele é difícil de ler e de navegar porque não está formatado para a tela de um dispositivo móvel. Com os celulares se tornando cada vez mais a principal porta de acesso à internet, queremos garantir que, quando você fizer uma busca no Google, encontrará conteúdo não só relevante e oportuno mas também fácil de ler e de interagir --até em telas pequenas.

Tornar os sites mais flexíveis também é uma questão para quem publica: cada vez mais, os visitantes abandonam as páginas que não são para mobile. Uma pesquisa mostra que 74% dos usuários são mais propensos a voltar a um site que seja para mobile.

É por isso que temos incentivado webmasters a criar páginas que evitem armadilhas como texto pequeno. Em novembro, nós introduzimos um certificado "mobile-friendly" para notificar os usuários quando um link nos resultados de pesquisa leva a uma página mobile e também fornecemos recursos para ajudar os webmasters nessa tarefa.

Exemplos de um site não-mobile (à esq.) e um mobile

Estamos começando, agora, a implantar uma mudança que anunciamos há dois meses para levarmos em conta se um site é adequado a mobile classificarmos os resultados de buscas feitas a partir de celulares. Este é só um dos mais de 200 fatores que levamos em conta para elencar os resultados. Os sites não-mobile não vão desaparecer dos resultados de busca --eles, inclusive, ainda aparecerão em posições altas se possuírem um conteúdo relevante para o usuário.

Desse jeito, se você usar a pesquisa do Google no seu celular, poderá encontrar mais facilmente resultados de alta qualidade e relevantes em que o texto é legível, os elementos clicáveis estão adequadamente espaçados e a página evita o conteúdo que não pode ser reproduzido e rolagem horizontal.

Em apenas dois meses (desde que anunciamos a mudança), nós vimos um aumento de 4,7 pontos percentuais na proporção de sites para dispositivos móveis --e esperamos ver ainda mais em breve.
A boa notícia para os publicadores é que o site não precisa ser caro ou demorado: pode ser tão simples como ajustar as configurações ou escolher um novo design de que você gosta. Mesmo se optar por redesenhar totalmente seu site, 10 a 20 páginas podem ser revistas em um ou dois dias.

Webmasters podem verificar se o seu site é mobile examinando páginas individuais com o Teste de Compatibilidade com Dispositivos Móveis ou o relatório de Usabilidade Móvel no Webmaster Tools. Uma vez que um site se torna mobile, nós o reprocessaremos automaticamente (e webmasters podem acelerar o processo solicitando ao Google um novo rastreamento de URLs).

Postado por Cody Kwok, engenheiro de software do Google

Mito ou monstro? Explore o Lago Ness com o Street View

4/22/2015 01:59:00 PM


Como acontece com as melhores lendas do mundo, o monstro do Lago Ness transcende o cotidiano e existe nas fronteiras do mundo real. Ele está acima dos boatos e das farsas; dos argumentos e contra-argumentos; do turismo, do nacionalismo e acima até mesmo de planos de assassinato. Ele vive por meio da contação de histórias. Acredite ou não, a maioria das pessoas têm uma visão romantizada da criatura que, diz a lenda, sonda as profundezas do lago. Carinhosamente conhecido como "Nessie", ela existe no folclore, na dança, na imaginação das crianças e se infiltra em nossa sociedade e ensinamentos inspirando tudo: desde a música pop, passando pela cultura pop e o pulp fiction.



Em 1934, foi divulgada a fotografia tirada pelo cirurgião R.K. Wilson, afirmando ao mundo a existência do monstro que reside nas águas nebulosas do Lago. Esta é a foto mais icônica da história do Lago Ness – e pode ser um dos hoaxes mais bem elaborados da nossa época. E hoje, para comemorar o aniversário desta divulgação, estamos trazendo para o Google Maps a galeria do Street View com imagens em 360 graus do Lago Ness. Assim, você pode fazer sua própria busca pela Nessie.



Navegue pelo lago de água doce e aprecie sua beleza assombrosa, ainda mais sombria por causa das partículas de turfa encontradas em suas águas. Deixe o Lago desbloquear o espírito de sua imaginação e veja como a ondulação d’água, os truques de luz e as toras à deriva trazem a lenda de Nessie à vida. Adrian Shine, líder do Projeto Lago Ness & Morar, está engajado neste trabalho de campo nas Terras Altas desde 1973 e é parte essencial desta coleção do Street View. Como um verdadeiro especialista no Lago Ness, Shine já registrou mais de 1.000 aparições da Nessie e oferece explicações científicas que explicam o porquê das pessoas afirmarem com tanta veemência ter visto a misteriosa criatura da Escócia.


Formado por uma série de corpos-d'água convergidos, incluindo o rio Oich ao sul e o Bona Narrows ao norte, o Lago Ness se estende por 23 km ao sudoeste de Inverness. Embora não seja o maior lago escocês por área de superfície ou por profundidade, ele é o maior em volume, contendo mais água doce em suas reservas do que todos os lagos da Inglaterra e do País de Gales combinados. E, em quase 800 metros de profundidade, há todo um mundo abaixo da superfície, dando origem à lenda de Nessie.




Para tornar possível o seu passeio pela região submersa do Ness, nossos parceiros do Instituto Catlin Seaview mergulharam nas águas profundas do lago, coletando imagens ao longo do caminho. Você pode imaginar a Nessie aninhando-se dentro destas águas escuras, cheias de turfa, à espera do momento certo para romper a superfície para encontrar a luz do sol escocês.


Mergulhador do Instituto Catlin Seaview coletando imagens subaquáticas do Lago Ness


Independente do lado que você apoia quando o assunto é o Lago Ness, a lenda permanece viva – mesmo na era digital. Há mais pesquisas sobre o Lago Ness do que há para outras instituições do Reino Unido como o Palácio de Buckingham e o Peak District. E, como hoje nós celebramos o Lago Ness com um Doodle, esperamos que você possa aproveitar uma das galerias mais cheias de história e com imagens de tirar o fôlego que as Terras Altas têm a oferecer com o Street View no Google Maps.

Publicado por Sven Tresp, Gerente de Coleções Especiais do Street View

Street View retrata cela em que Mandela esteve preso

4/22/2015 12:10:00 PM


Em 27 de abril de 1994, Nelson Mandela se tornou Presidente da África do Sul na primeira eleição democrática após o apartheid. Conhecida como "Dia da Liberdade", a data se tornou um símbolo de esperança na África do Sul e em todo o mundo. Para comemorar a data, fizemos uma parceria com o Museu da Ilha de Robben e o Centro de Memória Nelson Mandela para mostrar ao mundo esse Patrimônio da Humanidade tombado pela UNESCO. 

Com a galeria de imagens do Maps e o tour on-line do Instituto Cultural, pessoas de qualquer lugar do planeta podem ver a ilha onde Nelson Mandela e muitos outros combatentes da liberdade ficaram presos durante a luta pela igualdade.

Símbolo da luta sul-africana pela liberdade, a Ilha de Robben se tornou um destino obrigatório para pessoas que querem se conectar com Mandela e outros combatentes da liberdade. Ao entrar na cela de 2m x 2m, é difícil entender como alguém conseguiu passar 18 anos ali. Explorando artefatos históricos no tour, você também poderá ver fotos da cela durante o período em que o líder africano estava preso. Você pode imaginar Mandela sentado na mesinha apertada, cercado por livros e papeis, trabalhando em prol de um futuro de liberdade para todos.



Também foi na Ilha de Robben que o ativista Robert Sobukwe ficou preso, mantido em solitária por mais de três anos após se opor ao Pass Law, uma lei que exigia que cidadãos negros andassem com passaportes internos, limitando dramaticamente sua mobilidade. Explorando a casa de Sobukwe na Ilha de Robben, é possível aprender mais sobre o homem que não deixou a prisão frear suas tentativas de tornar liberdade uma realidade. Você pode até ver páginas de seu caderno de anotações, que ainda é mantido em sua mesa até hoje.



Na nova exibição on-line da plataforma do Instituto Cultural, você também pode ouvir histórias pessoais de prisioneiros sobre a vida na prisão, incluindo memórias de quando eles foram forçados a trabalhar e histórias de como eles estudaram e se juntaram para criar uma visão unificada para a liberdade na África do Sul. É possível ver também alguns itens pessoais doados por antigos prisioneiros, incluindo um troféu do torneio de futebol interno reconhecido pela FIFA, prêmios desenhados à mão para torneios de tênis de mesa, um trompete e uma cópia da chave-mestra feita de chumbo por um prisioneiro.



Uma vez símbolo do regime opressor do apartheid, a Ilha de Robben é hoje um memorial do espírito humano e sua incansável busca pela liberdade. Esperamos que você embarque nessa viagem pelo tempo, explore e se inspire com as histórias de esperança e humanidade da ilha.

Postado por Luke McKend, Country Director for Google South Africa

Android Wear: use o que você quiser, receba o que você precisa

segunda-feira, abril 20, 2015 4/20/2015 11:36:00 AM


Uma vez, o arquiteto e artista William Morris disse: "Não tenha nada em sua casa que você não considere útil ou não acredite que seja bonito". Acontece que este também é um bom conselho na hora de decidir o que usar. Por isso, o Android Wear oferece uma linha de relógios e aplicativos que são estilosos e ao mesmo tempo funcionais.

Nos últimos meses, nós adicionamos várias maneiras para você expressar seu estilo ao utlizar um relógio inteligente, de mostradores personalizados a uma gama variada de pulseiras. Hoje, estamos deixando o Android Wear mais útil também, entregando a informação que você precisa diretamente no seu pulso.

Tela e apps sempre ativos
Quando você compra um relógio, você quer que ele, bem, mostre as horas. Então, a maioria dos relógios Android Wear inclui um display sempre ativo, sem que o usuário precise tocar, girar ou agitar o dispositivo para ver que horas são. Agora, estamos expandindo esta opção para os aplicativos, de modo que fiquem visíveis enquanto você precisar deles, no lugar de desaparecerem quando você abaixar o seu braço. A tela só ficará totalmente colorida quando você estiver olhando para ela ativamente, dessa maneira você obtêm as informações que precisa e sem prejudicar a duração bateria.




Suporte wi-fi
Com GPS integrado e suporte a músicas off-line, você já pode deixar o smartphone em casa e sair para correr e ouvir música normalmente com o Android Wear. Agora, seu relógio vai passar a oferecer suporte a conexão wi-fi. Desde que o aparelho esteja conectado a uma rede sem-fio e o seu telefone tenha uma conexão de dados (seja ela qual for), você poderá receber notificações, enviar mensagens e usar seus aplicativos favoritos. E, se você realmente se esquecer de onde colocou seu celular, sempre poderá perguntar ao seu relógio onde ele está.

Mais simples, rápido e divertido

Usar aplicativos em um relógio inteligente deve ser tão fácil quanto ver as horas. Por isso, hoje, estamos realizando diversas melhorias no Android Wear para facilitar o acesso a suas informações e oferecer mais maneiras para você se expressar:
  • Está com as mãos ocupadas? Você não precisa mais delas para verificar suas notificações. Em vez disso, basta girar o pulso para ativar a opção de rolagem da tela.
  • Agora, seus aplicativos e contatos estão a apenas um deslize de tela do mostrador do relógio. Basta tocar a tela para iniciar aplicativos e enviar mensagens.

Não dá pra falar? Agora, você pode desenhar centenas de emojis diferentes diretamente na tela do relógio. Vamos reconhecer sua "obra de arte" e enviá-la via mensagem ou texto.
Essas atualizações estarão disponíveis para todos os seis relógios Android Wear nas próximas semanas, começando pelo novo LG Watch Urbane. Enquanto isso, há vários aplicativos úteis e diversos mostradores de relógio lindos que você pode escolher e usar quando quiser.

Postado por David Singleton, diretor de engenharia do Android Wear

A importância dos direitos autorais em toda cadeia musical

sexta-feira, abril 17, 2015 4/17/2015 05:12:00 PM



Antes das plataformas digitais, a comunicação dos artistas com seu público era unilateral, por meio de shows, CDs, TVs e rádios. No YouTube, os fãs não apenas consomem conteúdo, mas também compartilham o trabalho de seus artistas favoritos. O engajamento dos fãs aumenta exponencialmente o alcance de qualquer composição musical. Graças a vídeos com letras de música, coreografias, covers e paródias, usuários do mundo todo transformaram o YouTube na plataforma ideal para conectar artistas e fãs, e para que artistas gerem receita com suas obras.

O YouTube quer assegurar que o proprietário dos direitos autorais seja recompensado em toda esta cadeia musical, hoje muito maior e mais complexa. É por isso que construímos ferramentas como Content ID, para ajudar criadores e distribuidores de conteúdo a identificar, gerenciar e se beneficiar do seu trabalho. Também desenvolvemos negócios publicitários para parceiros, cujas receitas cresceram 50% anualmente durante os últimos três anos; em breve, um serviço de assinatura adicionará uma nova fonte de receita para artistas.

O YouTube leva direitos autorais a sério: caso contrário, deixaria de ser uma plataforma em que artistas e detentores de direitos autorais divulgam, administram e obtém receita com seu trabalho, É fundamental que os artistas e proprietários de direitos autorais obtenham a remuneração exata por todo seu conteúdo reproduzido no YouTube, e por isso estabelecemos dezenas de acordos com associações de gestão musical em mais de 130 países.

No Brasil, o YouTube vem negociando de boa fé com as associações representativas de compositores musicais para garantir que o pagamento de direitos autorais ocorra de uma maneira correta e transparente, beneficiando não apenas as associações, mas também, e principalmente, os compositores.

Infelizmente, estas negociações ainda não chegaram a um acordo. Por isso, o YouTube não teve alternativa senão buscar o auxílio do Poder Judiciário: em demonstração de boa-fé, o YouTube ajuizou uma ação buscando uma solução justa para as partes e depositando em juízo cerca de R$ 5 milhões pela reprodução de obras no YouTube nos últimos 27 meses, visando a pagar os compositores brasileiros representados pela UBEM. Esses valores serão analisados pelo juiz e discutidos entre as partes.

Nós desejamos avançar nossas discussões para chegar a um acordo justo no Brasil, de modo que o YouTube continue sendo uma importante fonte de receita para os artistas, compositores, gravadoras e produtoras musicais, permitindo-lhes alcançar uma audiência global de um bilhão de usuários no maior palco do mundo.

Postado por Flavia Sekles, Diretora de Comunicação do Google Brasil

Novo DVD do Luan Santana está no YouTube – mas só por 72 horas!

quarta-feira, abril 15, 2015 4/15/2015 03:13:00 PM


Quem é fã do Luan Santana tem motivos de sobra para estar de ótimo humor. O cantor colocou seu novo DVD “Acústico Luan Santana” inteirinho em seu canal no YouTube. Mas quem quiser ver precisa correr: o show só fica no ar até o dia 17 de abril.

Descoberto no YouTube em 2008, Luan Santana é hoje o maior artista da plataforma no Brasil, e seu canal oficial conta com mais de 1,3 milhão de assinantes. Por isso tudo não é surpresa que o cantor tenha escolhido justamente o YouTube para lançar seu mais novo trabalho e presentear os fãs.

O novo álbum do Luan também já está disponível com exclusividade no Google Play. Tanto o CD como o DVD só chegam às lojas físicas no dia 22 de abril.

Gravado em dezembro, em São Paulo, e inspirado no visual dos anos 50 e 60, o novo trabalho do cantor reúne 10 músicas inéditas e 10 sucessos de sua carreira. O repertório inclui as músicas “Escreve aí”, “Conto de fadas”, “Não preciso de Você”, “Meteoro”, “Falando Sério”, “Te Vivo”, e muitas outras.


Ajudando desenvolvedores a se conectar com as famílias no Google Play

terça-feira, abril 14, 2015 4/14/2015 05:31:00 PM


Há milhares de desenvolvedores focados em criar experiências para famílias e crianças na plataforma Android, como aplicativos e jogos que ampliam a mente e inspiram a criatividade. Esses desenvolvedores constroem seus aplicativos sob medida para oferecer uma experiência de qualidade com um conteúdo adequado a diferentes faixas etárias. O planejamento cuidadoso vai desde a criação do design da interface do usuário, que precisa ter como foco o público infantil, até a criação de recursos interativos que eduquem e entretenham.


O Google Play está comprometido com o sucesso desta comunidade de desenvolvedores, que é cada vez maior. Por isso, estamos apresentando um novo programa denominado Designed for Families (Feito para Famílias, em tradução livre), que permite aos desenvolvedores caracterizar seus apps e jogos como adequados para a família. Os aplicativos que estiverem no programa estarão automaticamente qualificados para fazer parte das novidades que temos programadas para ajudar os pais a encontrar conteúdos incríveis e compatíveis com a idade de seus filhos no Google Play. Fornecendo ferramentas que permitem avaliar o tipo de informação a qual seus filhos têm acesso no ambiente on-line.

A partir de agora, os desenvolvedores podem inscrever seus aplicativos ou jogos por meio do Console do desenvolvedor do Google Play. Ao mesmo tempo, nossa equipe avaliará detalhadamente os aplicativos para verificar se atendem aos requisitos do programa Designed for Families. Nas próximas semanas, vamos adicionar novas maneiras de promover o conteúdo voltado à família para os usuários do Google Play. Em breve, compartilharemos mais informações sobre isso.


Postado por Eunice Kim, Gerente de Produto para o Google Play

Cinco anos de TrueView: um novo momento da publicidade em vídeo

quinta-feira, abril 09, 2015 4/09/2015 09:00:00 AM


“Concentre-se no usuário e tudo mais virá." Este princípio tem guiado o Google desde os dias que trabalhávamos numa garagem em Menlo Park. Mesmo tratando-se de publicidade. Permitir que as pessoas escolham o anúncio que querem ver e não cobrar por anúncios não vistos é a forma através da qual colocamos o usuário em primeiro lugar.

Há cinco anos, levamos esse mesmo conceito ao vídeo com a introdução do formato TrueView, no YouTube. Na época, muitos acharam que estávamos malucos: “quem escolheria assistir a um comercial antes daquele vídeo tão desejado?” No entanto, acontece que as pessoas escolhem sim assistir a anúncios... mais de 100 milhões de vezes, em alguns casos

Exemplo de anúncio em formato TrueView

A publicidade em vídeo está nas mãos do usuário: é ele que escolhe se quer ver um anúncio ou pular a reprodução e fechar a tela. Com a escolha, vem a oportunidade. Bons anúncios são aqueles desenvolvidos para cativar a audiência, formada por espectadores cada vez mais exigentes. Começamos a ver campanhas publicitárias mais criativas, envolventes e que entretêm mais do que nunca. Ao engajar os espectadores no contexto certo e aceitar sua opção de escolha, as marcas ganham relevância junto aos consumidores. No ano passado, quatro dos dez vídeos mais vistos nos Estados Unidos foram criados por marcas.

Esta semana, celebramos o quinto aniversário desde que começamos a testar o TrueView como formato de anúncio em vídeo. Avançamos bastante no período: todas as 100 maiores marcas globais exibiram anúncios TrueView no ano passado. Também tivemos um forte aumento na adoção do TrueView por novos anunciantes, ávidos por aprofundar a conversa com seu público.

Desde o lançamento do formato TrueView, investimos na criação de novas ferramentas para capacitar anunciantes a criar anúncios que as pessoas queiram assistir. As métricas do Brandlift ajudam a responder perguntas sobre como as pessoas assistem ao conteúdo e o impacto que as exibições têm para a marca. Além disto, buscamos aprimorar o produto com inovações constante como o suporte a vídeos em 360 graus, que possibilita que anunciantes usem o TrueView de uma maneira criativa para envolver seus clientes.

Ao oferecer aos espectadores esta escolha, todos saíram ganhando: a audiência assiste somente aos anúncios que a interessa e as marcas são recompensadas por criar um conteúdo interessante que as pessoas querem ver. Mal podemos esperar pelos próximos cinco anos do YouTube.

Postado por Julio Zaguini, diretor de agências do Google Brasil

Amazonas adota Google Apps para Educação

terça-feira, abril 07, 2015 4/07/2015 03:34:00 PM



Coração da maior floresta tropical do mundo, o Estado do Amazonas sempre teve que lidar com o enorme desafio imposto por complexidades logísticas e estruturais para oferecer acesso à educação de qualidade aos alunos das milhares de comunidades locais. Desde 2007, a Secretária de Educação do Estado encontrou na tecnologia a solução para transmitir aulas via satélite a partir da capital, Manaus. 

Aluno interage com professor através de uma aula via satélite

No Google, acreditamos no poder da educação para transformar a sociedade, e temos o prazer de anunciar hoje uma parceria com a Secretaria de Educação do Estado para fornecer, gratuitamente, os recursos do Google Apps for Education para um grupo de mais de 500 escolas, 450 mil estudantes e 16 mil professores.

As ferramentas do Google permitirão que o Amazonas avance em sua missão de levar educação de qualidade para todo o Estado. Com o Sala de Aula, uma das ferramentas do Google Apps for Education, os professores poderão criar planos de aula usando vídeos, aplicativos e sites, além de poder ministrar tarefas a distância a partir de tablets, computador, ou até celular.

O Amazonas é o quarto Estado brasileiro a adotar o Google Apps para Educação, depois de São Paulo, Santa Catarina e Pernambuco. Uma série de municípios também já conta com as ferramentas, como São Caetano do Sul e Indaiatuba, em São Paulo, e Rio do Sul e Mafra, em Santa Catarina, entre outros.

Em todo o mundo, mais de 40 milhões de pessoas usam o Google Apps for Education. São tecnologias de ponta como essa que terão um papel crucial para equipar as gerações futuras com as habilidades necessárias para ter sucesso no mercado de trabalho de hoje e de amanhã.
Postado por Thaís Blumenthal de Moraes, gerente de novos negócios do Google for Education no Brasil